sexta-feira, maio 24, 2013

Paraíso Sul


Deixe que o dia cante música ao pé do ouvido. 
O sol amarelo e quente queima a retina lá fora,
E dentro o mesmo peso de 15 mil gravidades.

As árvores, verdíssimas da chuva que passou, balançam num balé descalço.
As poltronas do Paraíso Sul seguem cheias de pernas, sacolas, cabeças cheias de contas.
Não leve em conta.

Apenas deixe que o dia cante música ao pé do ouvido,
Enquanto dentro o peito luta, esbraveja para que, de fora, só o sorriso persista.
E o mesmo peso das 15 mil gravidades.

Veja que os dias lindos estão tão lindos,
Não fosse o peso delas, presas, querendo roubar a cor das flores.

E então feche os olhos,
E deixe que Deus mostre seu caminho, verdade e vida.


2 comentários:

Daiane Muniz disse...

Sempre me inspirando Gustavo...seus textos são perfeitos!

Anônimo disse...

Seu estilo me fascina tanto, irmão!

Talvez me fascine mais ainda porque sei que você é assim, de verdade. A sua poesia te traduz, te transmite!

Por isso me considero uma das pessoas que mais te conhece! HAHAHA